O pequeno guia das meias
Aguarde...

O pequeno guia das meias

Quais modelos escolher, os melhores materiais, as cores certas. Parece complicado, mas é tudo quase tão simples quanto calçá-las 

 

 

Nem sempre você vai achar um par de meias no exato tom do seu terno ou calça. Cores parecidas, e não exatamente iguais, podem criar
um efeito degradê nada elegante. Quando for assim, parta sem medo para o contraste ou recorra às padronagens.
Sapato da foto: Oxford Bethel Joe

 

 

O tamanho

 Muitas marcas produzem meias de tamanho único, o que exige o uso de fibras artificiais flexíveis, para que o modelo se adapte aos diferentes tamanhos de pés. No entanto, assim como os sapatos, esse acessório também deveria ser produzido de acordo com os padrões das variadas numerações. Por mais que estiquem, se estiverem um ou dois números acima ou abaixo do ideal, podem causar desconforto ao andar. Um bom fabricante sabe disso. Prefira marcas que têm o modelo para o seu tamanho de pé.

 

O tecido

Opte por fibras naturais. Geralmente são mais caras que as feitas com fibras artificiais, mas sua capacidade de absorver a umidade é muito maior, o que diminui a probabilidade de pés suados. A dica neste caso é escolher sempre os modelos feitos de algodão, lã ou casimira. Esta última é a mais macia dos três, porém tem um ponto fraco: as meias feitas 100% com esse material tendem a perder a forma na lavagem, por isso o ideal é a mistura entre a casimira e outros tipos de fibras naturais. Além disso, o punho deve ser de elastano, para deixar a peça ajustada à panturrilha sem pressioná-la.

 

Espessura

Existe uma ou duas regras básicas sobre meias. Uma delas diz que meias grossas combinam apenas com tênis para academia ou esporte. Sapatos e os chamados “sneakers” (tênis com design streetwear) vão bem apenas (e somente!) com meias mais finas. E eles não se misturam. Nunca. Meia grossa com sapato ou sneaker é tão deselegante quanto ir à academia vestindo uma meia de casimira.

 

Cores

Aqui pisamos num dos terrenos que mais gera dúvidas quando o assunto é meia masculina. Para simplificar, vale uma regra geral: combine as meias com as calças e não com os sapatos. Essa é uma dica de ouro, segundo os especialistas. Tem, porém, algumas nuances que, se não forem respeitadas, podem causar um efeito deselegante no look.

 

 

 

  •  Cuidado com calças e meias em tons próximos de cores

Nem sempre você vai achar um par de meias no exato tom do seu terno ou calça. Cores parecidas, e não exatamente iguais, podem criar um efeito degradê nada elegante. Quando for assim, parta sem medo para o contraste ou recorra às padronagens - o estilo espinha de peixe, as listras e o houndstooth (um tipo de pequeno xadrez também conhecido como pied-de-poule), neste caso os de preto com branco são os mais curingas. 

 

 

 

  • Ocasiões muito formais

Tradicionalmente, meias que acompanham o black tie devem ser feitas de seda. As melhores opções são as tricotadas em máquinas com 280 agulhas, que produzem as peças de textura mais finas.

 

    

Sapatos para acompanhar: Monk Bethel Alwin, Derby Butte, Oxford Orwell Moss, Oxford Bethel Benji

 

  • Combine meias com detalhes do look

O outfit, como se diz em inglês, é o resultado final do look escolhido - e ele pode ter alguns detalhes que influenciem a escolha de cores e/ou padrões da meia que o acompanha. Aposte numa meia que combine ou contraste com o lenço, a gavata ou o cadarço, por exemplo. Exige um pouco mais de informação de moda, mas a construção pode resultar em um efeito superelegante.

 

  • Atenção especial: meias brancas 

Eis aqui uma das maiores polêmicas da moda masculina. Pode ou não pode? Bem, um das regras mais respeitadas da moda atualmente é que nada é proibido. Então, oficialmente pode. Mas não é aconselhável para além dos limites de uma academia, um campo de futebol ou uma pista de atletismo. Fora desses espaços, não há nada que fique elegante com um par de meias brancas. Jeans, terno, bermuda... Nada.