Os restaurantes mais animados de São Paulo
Aguarde...

Os restaurantes mais animados de São Paulo

Quer balde de água fria maior do que sair de casa para jantar e deparar com um restaurante às moscas ou que remete a um velório? Nesses abaixo, a animação está garantida
 
 
COZINHA 212
 
 
 
A porção de ostras e o polvo grelhado com aïoli de chorizo do Cozinha 212 (fotos: divulgação)
 
 
Não é fácil passar na frente do restaurante dos empresários Victor Collor e Stefan Weitbrecht e não ser magnetizado para dentro. A charmosa área de espera, que se espalha pela calçada, envolve o bar e está sempre cheia de gente interessante, seduz os passantes ao menos a tomar um negroni ou um gim-tônica. Já a parrila a lenha que salta aos olhos nos fundos da casa fatalmente vai te convencer a aguardar por uma mesa.
 
É nela que a maior parte das receitas é finalizada, a exemplo do polvo com aïoli de chorizo. Campeão disparado de pedidos, ele chega à mesa tenro e ligeiramente tostado e pode vir acompanhado de abóbora com purê de alho e mini legumes grelhados.
 
O cardápio lista ainda tentações como os lagostins com gremolata de coentro, o tartar de angus com dijon, alcaparras, shitake e ciboulette com fritas e a panceta de porco com pasta de alho e salada de repolho com maça verde. Num dia de calor, não há quem resista à porção de ostras.
 
Onde fica: Rua dos Pinheiros, 174, Pinheiros, São Paulo - facebook.com/cozinha212
 
 
 
JAMILE
 
 
 
O salão do Jamile e o ceviche, um dos hits do cardápio (fotos: divulgação)
 
 
É um raro caso de restaurante que você torce para estar lotado. Isso porque quando está cheio, o Jamile transforma seu charmoso rooftop numa segunda área de espera. É bem mais divertido aguardar por uma mesa lá em cima, com o skyline do Bixiga como pano de fundo – valer pedir um negroni ou tanqueray sour para animar a espera ainda mais.
 
Propriedade de Alberto Hiar, o Turco Loco, dono da grife Cavalera, do publicitário Anuar Tacach e do chef Henrique Fogaça, o jurado mal encarado do programada MasterChef, o elegante restaurante prepara entradas como a burrata cremosa com tomate cítrico e pesto de rúcula e o pastrami de kobe com picles e brotos. Entre os principais, há o ragu de rabada com nhoque de batata e agrião e a moqueca de badejo com camarão e farofa de mandioca, pimenta dedo de moça e coentro.
 
Onde fica: Rua Treze de Maio, 647, Bela Vista, São Paulo - facebook.com/jamilerestaurante
 
 
 
ESTHER ROOFTOP
 
 
 
O ceviche e o tutano no forno são dois dos pratos do Esther Rooftop (fotos: divulgação)
 
 
O restaurante voltado para a Praça da República, no centro de São Paulo, funciona na antiga cobertura do chef e apresentador de TV Olivier Anquier, que, aliás, mora a poucos metros dali. Ele é sócio do empreendimento ao lado do chef Benoit Mathurin, responsável pelo dia a dia da cozinha.
 
Em funcionamento desde agosto do ano passado, o restaurante renovou o cardápio no começo deste mês. Entre as novidades, aprovamos a ostra com espuma de marisco e cítricos; a sopa quente de tomate, coalhada caseira e camarões; e a barriga de porco com mexilhões, sagu e repolho-chinês.
 
A nova e ótima seleção de vinhos naturais, reunida pela importadora Garrafa Livre, também não poderia passar sem registro.
 
Onde fica: Praça da República, 80, 11º andar, Centro, São Paulo - facebook.com/Esther-Rooftop
 
 
MODI
 
 
 
O ravioli de gema de ovo caipira na manteiga de trufa e a paleta de cordeiro com tagliateli e legumes do Modi (fotos: divulgação)
 
Tamanho é o sucesso do restaurante, aberto em 2014, que ele já ganhou duas filiais, uma no Shopping Higienópolis e a outra no MorumbiShopping. Mas a nossa unidade preferida ainda é a matriz. Ocupa o térreo e o mezanino de um edifício modernista ao lado do Parque Buenos Aires, em Higienópolis, e costuma lotar assim que as portas se abrem.
 
A ideia não tinha como dar errado: ambiente elegante, preços abaixo da média dos restaurantes italianos e receitas sem grandes invencionices mas muito bem executadas.
 
Vá com fome por que não há como recusar o ravioli de gema de ovo caipira na manteiga de trufa e os aspargos com fonduta de grana padano e ovo caipira. Se bem que o ravioli de queijo de cabra com pappa al pomodoro e o varenique de cebola caramelada em fonduta de grana padano são fora de série. E tem ainda a rabada com polenta cremosa e salada, servida só nos finais de semana... é, você vai ter um certo trabalho para se decidir. Mas quer trabalho melhor?
 
Onde fica: Rua Alagoas, 475, Higienópolis, São Paulo - facebook.com/ModiGastronomia
 
 
LE JAZZ BRASSERIE
 
 
 
A fachada de uma das unidades do Le Jazz e o polvo à la plancha com batatas ao murro (fotos: divulgação)
 
A primeira unidade do Le Jazz, na Rua dos Pinheiros, abriu as portas há oitos anos. Mas quem se cansa dela? Ou das filiais do bistrô, na Rua Doutor Melo Alves e no Shopping Iguatemi? A julgar pelas invariáveis filas que se formam na porta dos três endereços, quase ninguém.
 
O sucesso se deve aos preços competitivos e a clássicos da culinária francesa como a terrine de porco, o filé ao poivre  e o steak tartare, que sai como se fosse croissant quente. Quem comanda as cozinhas das três unidades é o chef e sócio Chico Ferreira, que também criou receitas mais inventivas como o leitão de pele crocante com purê de batata ao molho de suco de beterraba.
 
Todas as casas têm mesas bem próximas umas das outras e são decoradas com cartazes que homenageiam os grandes jazzistas – são eles, claro, que você ouve na trilha sonora. Mas a matriz tem um diferencial e tanto: um bar anexo especializado em drinques, o Le Jazz Petit, criado para tornar a espera por uma mesa bem mais agradável.
 
Onde fica: Rua dos Pinheiros, 254, Pinheiros, São Paulo - facebook.com/LeJazzBrasserie
 
 
 
EMA
 
 
 
O salão do Ema e a indescritível casquinha de siri (fotos: divulgação)
 
Aberto de terça a quinta sob agendamento e de sexta a sábado por ordem de chegada, é o empreendimento da Renata Vanzetto no qual ela melhor consegue dar vazão à sua criatividade – a chef de 28 anos também está à frente do Marakuthai, com unidades em São Paulo e Ilhabela; do bar Lambisgoia, na mesma cidade praiana; de um bufê; do Marakuthai Kumbukha, nos Jardins; e do bar Megusta, que fica no térreo do Ema.
 
Nesse último só há espaço para 45 comensais, o que resulta em constantes filas. A clientela precisa optar entre dois menus-degustacão, com cinco ou oito etapas, que variam semanalmente. Poderão incluir, por exemplo, croquete vegetariano de shiitake no molho de rabanete, fideuà de frutos do mar na tinta de lula, lagostim com azeite picante de wassabi no caldo de pepino e purê de banana e chuchu no tucupi. Como se vê, a espera vale muito a pena.
 
Onde fica: Rua Bela Cintra, 1.551, Consolação, São Paulo - facebook.com/marakuthai